domingo, 2 de agosto de 2015

Queimada Viva


Experimentei e... gostei

Esta foi a minha última leitura. Comecei num dia e acabei no seguinte, não conseguia parar.

Sinopse: 
«Souad tinha dezassete anos e estava apaixonada. Na sua aldeia da Cisjordânia, como em tantas outras, o amor antes do casamento era sinónimo de morte. Tendo ficado grávida, um cunhado é encarregado de executar a sentença: regá- -la com gasolina e chegar-lhe fogo. Terrivelmente queimada, Souad sobrevive por milagre. No hospital, para onde a levam e onde se recusam a tratá-la, a própria mãe tenta assassiná-la.
Hoje, muitos anos depois, Souad decide falar em nome das mulheres que, por motivos idênticos aos seus, ainda arriscam a vida. Para o fazer, para contar ao mundo a barbaridade desta prática, ela corre diariamente sérios perigos, uma vez que o “atentado” à honra da sua família é um “crime” que ainda não prescreveu.»

Queimada viva é o testemunho de uma sobrevivente que, ao contrário de muitas mulheres na sua situação, conseguiu escapar à morte pelo fogo, encomendada pelos próprios pais.


É um livro que choca. 

Para o pai, Souad vale menos do que um animal.

«Se o teu pai te disser “não saias deste canto a vida inteira”, tu ficas nesse canto toda a vida. Se o teu pai te puser uma azeitona no prato e te disser “hoje não comes mais nada”, tu não comes mais nada.

Um facto que descobri aqora: Este livro tem sido muito criticado por se pensar que a história de Souad possa ser apenas ficção!!! 
Independentemente dessa possibilidade considero um livro de leitura obigatória

4 comentários:

  1. São, eu comecei a ler esse livro há uns anos atrás, mas não terminei, era chocante demais, beijo amiga e boa semana

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  3. Independentemente de ser realidade ou ficção retrata o que se passa com muitas mulheres... É um livro chocante, mas muito bom!
    Bjs

    ResponderExcluir